SOLENIDADE DE SANTA MARIA, MÃE DE DEUS

SOLENIDADE DE SANTA MARIA, MÃE DE DEUS

O título de "mãe de Deus" foi dado, em 431, à Nossa Senhora no Concílio do Éfeso, onde a Igreja proclamou a Virgem Santíssima como “Theotókos”, expressão grega que significa Mãe de Deus.

 

Esta solenidade nos recorda o mistério da maternidade divina de Nossa Senhora, dado pela graça do Espírito Santo. Ao tornar-se mãe de Jesus, o filho de Deus, ela também se tornou também a mãe de Deus. 

Naquele momento, podemos nos recordar a humildade de Jesus, ao se tornar igual a nós e ser gerado no seio da Virgem Maria. Naquele momento, este tornou-se filho e a Virgem tornou-se sua mãe.

O "sim" dado por Maria a Deus a transformou no elo de união entre o céu e a terra que foi concretizado com o nascimento de Jesus, uma vez que foi por meio dela, que Ele se fez homem e a Salvação entrou no mundo.

Maria ao saber que sua prima, Santa Isabel, estava grávida foi lhe visitar. Ao entrar na casa, Isabel a viu e, repleta do Espírito Santo, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre". Isabel referia-se a Jesus, o Filho de Deus, nosso Senhor e Salvador. A Virgem Maria não é "bendita entre as mulheres" por vontade própria, e sim, por vontade de Deus.

Maria acompanhou Jesus durante todo o seu crescimento, tendo grande influência em sua formação humana, ensinando-lhe a ser bondoso, humilde, sábio, cheio de amor. 

A afirmação da Virgem Maria como Mãe de Deus tornou-se um dogma de fé: "Maria se tornou, com toda a verdade, Mãe de Deus. Mãe de Deus, por ter concebido humanamente o Filho de Deus em seu seio:  Mãe de Deus, não porque o Verbo de Deus dela tenha recebido a natureza divina, mas porque dela recebeu o corpo sagrado, dotado duma alma racional, unido ao qual, na sua pessoa, se diz que o Verbo nasceu segundo a carne.”

É importante recordar que Maria não é só Mãe de Deus, mas também nossa. Isso, porque, Jesus Cristo, na cruz, a confiou a São João como sua mãe.

Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós!